População activa - Junta de Freguesia de S. Tomé de Negrelos

Ir para o conteúdo

Menu principal:

População activa

Freguesia > Demografia > Análise sócio-económica

A população activa representa o «conjunto de indivíduos com idade mínima de 15 anos que, no período de referência, constituíam a mão-de-obra disponível para a produção de bens e serviços que entram no circuito económico (empregados e desempregados» (PORDATA).


Taxa de actividade do município de Santo Tirso, em 2001 e 2011 (%)


O município de Santo Tirso e a sub-região do Ave registam em ambos os decénios valores superiores de população activa, comparativamente com a região Norte, o que pode demonstrar algum dinamismo e desenvolvimento da NUT III – Ave.
No entanto, a freguesia de Negrelos (São Tomé) em 2011 apresentava a menor taxa de actividade do município, 46,7% de população em idade activa, um pouco abaixo da região Norte com 47,59%, no conjunto das freguesias foi a que mais diminuiu, seguindo-se Rebordões (47,54%), seguidas da UF de Areias, Sequeiró, Lama e Palmeira (47,69%) e Reguenga (49,25%). Contudo, em 2001 esta freguesia ocupava o 4º lugar o que correspondia ao número de pessoas em idade activa no município, ou seja, 54,9%.


População desempregada

Segundo o INE «os desempregados são indivíduos, com idade mínima de 15 anos que, no período de referência, se encontram simultaneamente nas seguintes situações: não têm trabalho remunerado nem qualquer outro; estão disponíveis para trabalhar num trabalho remunerado ou não; e têm procurado um trabalho, isto é, tomaram diligências ao longo das últimas 4 semanas para encontrar emprego remunerado ou não» (ALEA, 2013).


População desempregada no município de Santo Tirso, em 2001 e 2011 (%)


A freguesia de São Tomé de Negrelos apresenta uma taxa de desemprego superior à do município com 17,42% de desempregados, correspondendo à 5ª taxa de desemprego mais elevada do município de Santo Tirso, sendo que estes números ultrapassam os valores da região Norte (14,4%) e da sub-região do Ave (15,13%). Esta freguesia bem como todas as que pertencem ao município de Santo Tirso apresentam uma taxa de desemprego em 2011 no mínimo 2 vezes superior a registada no momento censitário anterior (2001).

Na generalidade as freguesias do município de Santo Tirso assistiram a um aumento da sua população desempregada, resultado da crise do têxtil e da crise económica registada em Portugal desde o ano de 2008 que originou o encerramento de empresas e despedimento de funcionários. A sub-região do Ave fortemente dependente da indústria transformadora (sector secundário) teve com o declínio desta indústria o desemprego de muita mão-de-obra. Em números absolutos São Tomé de Negrelos em 2001 tinha inscritos no centro de emprego 154 indivíduos, após um decénio o valor de pessoas desempregadas passou para 328 desempregados.


População empregada

No município de Santo Tirso, o peso da população empregada [aquela que exerce uma profissão, ou se encontra em formação profissional (e que mantém um vínculo com a entidade empregadora), e os militares de carreira], nos anos de referência diminuiu de 93,38% (35704 empregados) em 2001 para 82,63% (29569 empregados) em 2011, neste contexto verificam-se oscilações na população empregada em diversas freguesias. As freguesias que se encontram acima da média do município, em 2011 são por ordem quantitativa crescente Roriz (83,80%), Agrela (84,09%), Água Longa (84,09%), UF de Lamelas e Guimarei (84,52%) e UF de Carreira e Refojos de Riba de Ave (84,99%).



População empregada no Município de Santo Tirso, em 2001 e 2011 (%)


Porém, estas freguesias não são as que apresentam o maior número em termos de população, pelo que seria de esperar que tivessem um menor número de pessoas empregadas. Contudo, poderá ser a sua localização um factor importante para justificar estes valores, nomeadamente por se encontrarem próximas dos municípios de Valongo, da Maia, e da Área Metropolitana do Porto.
Em termos da população empregada, São Tomé de Negrelos apresenta um decréscimo da população empregada em dez anos, no ano 2001 tinha em números absolutos 2174 empregados (93,30%), sendo que em 2011 eram menos 619 empregados, ou seja, 1555 pessoas empregadas (84,58%).

 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal